terça-feira, 14 de outubro de 2008



Carlo M Cipolla

"(...) se uma piada humorística não é entendida como tal por parte do interlocutor, é praticamente inútil, senão mesmo contraproducente, procurar explicá-la.
"O humorismo é claramente a capacidade inteligente e subtil de revelar e representar o aspecto cómico da realidade, mas é também muito mais do que isso. Antes de mais, como escreveram Devoto e Oli, o humorismo não deve implicar uma posição hostil, mas sim uma profunda e muitas vezes indulgente simpatia humana. Além disso, o humorismo implica a percepção instintiva do momento e do lugar em que pode ser usado. Fazer humor sobre a precariedade da vida humana à cabeceira de um moribundo não é humorismo. Por outro lado, merecia certamente que a sua cabeça tivesse sido poupada aquele cavalheiro francês que, tendo tropeçado num dos degraus ao subir a guilhotina, se dirigiu aos guardas e disse:
"Dizem que tropeçar dá azar.""
.
Carlo M Cipolla, Allegro ma non troppo.

1 comentário:

Menina_marota disse...

"Fazer humor sobre a precariedade da vida humana à cabeceira de um moribundo não é humorismo."

Considero verdadeira falta de respeito pelo Ser Humano.

Grata pela partilha

Um abraço