quinta-feira, 11 de setembro de 2008


Como gostei da leitura de “Deus é Amor”, a primeira carta encíclica de Bento XVI!

Apreciei, em particular, a primeira parte, de cariz filosófico. Aí se faz a distinção entre “ágape” e “eros” (o primeiro, o amor que dá, o segundo, o que almeja receber), para finalmente se afirmar que o Amor envolve equilibradamente ágape e eros.

Aprendi que o agapante é a flor do amor. Do grego “ágape”. E esse nome, que outrora me parecera tão feio, ganhou outro encanto, nova dimensão, uma certa doçura. Olho então os canteiros de agapantes e vejo berços de amor.


Tenho, agora, uma visão muito mais nítida do que deve ser o Amor entre seres irmãos: ágape é perdão, aceitação, tolerância, envoltos em benevolência.
Esse Amor, como o pressinto, não envolve crítica, nem sarcasmo, nem ironia, nem desconfiança, mas uma infinita bondade! Evidentemente, não inclui cólera, nem revolta, nem ciúme ou inveja, antes, incrível sapiência.
Assim, se o meu irmão me magoa, se é mordaz, ofensivo, malévolo, eu perdoo, porque o compreendo, porque vejo para além da sua acção, reconheço o seu íntimo sofrimento, o seu medo, a sua amargura, as suas perdas, as rejeições de que foi alvo… Posso até reconhecer e aceitar-lhe os vícios, os que não consegue vencer, nem se atreve sequer a combater.
Se tudo isto eu vejo, sem crítica e com bondade, não consigo zangar-me com o meu irmão – antes tenho de ser paciente, abraçá-lo, encaminhá-lo no trilho do Bem.
Compreendo este sentimento e sei que consigo alcançá-lo por vezes. No entanto, falta-me a paciência e, se me testam para além do que me parece possível suportar, reajo vivamente.
Dai-me, Deus, a infinita paciência, e a clarividência para conseguir ver, sempre, sempre mais longe!
.
Ilona Bastos

2 comentários:

Hilton Valeriano disse...

Também admiro sua Santidade Bento XVI. Um grande homem de cultura em um mundo medíocre...

Ilona Bastos disse...

É verdade! Aprecio imenso os seus textos, e actualmente "Fé, Verdade, Tolerância - O Cristianismo e as Grandes Religiões do Mundo" é uma das minhas leituras de cabeceira. Muito obrigada pela visita e pelo comentário. Um abraço.